Go ahead, punk. Make my day.

Entrevista: Pablo Villaça

O amor pela Sétima Arte é mais antigo, mas, profissionalmente, o Cinema emprega Pablo Villaça há 16 anos. Contudo seu cargo não está nem dentro, nem fora da tela como se pode pensar. Ele é fundador e editor do site Cinema em Cena, especializado em notícias e críticas sobre os filmes que pululam nas salas do Brasil semanalmente. Todas as resenhas do site são assinadas por ele e muitas combatidas por fãs de pérolas que Pablo prefere dar uma ou duas estrelas – ainda que odeie essa história de cotação.

Morador da capital mineira e cruzeirense capaz de sabotar o próprio tio atleticano, Pablo também ministra cursos sobre a teoria, linguagem e crítica de Cinema, os quais já foram levados até várias cidades do país há exatas 23 edições.

Na última, esse jornalista-blogueiro-twitteiro-rockeiro (e corinthiano) que vos escreve teve a oportunidade de conhecer, ser aluno e entrevistar o homem que diz que os críticos não são tão odiados – como se as “crepusculetes” fossem amigas dele.

É esse bate-papo rápido, mas interessante – feito após a última aula em Brasília – que segue abaixo.

Pablo Villaça

Pablo Villaça e Vinícius Lemos em Brasília

Por que a crítica de cinema?

Eu tenho um interesse e uma paixão pelo cinema de infância. E com o passar do tempo senti uma necessidade cada vez maior de mergulhar nessa arte. Acho que é até uma questão de respeito, se amo tanto é obrigação tentar entender mais. Eu comecei estudar Cinema na adolescência, lendo muito sobre teorias cinematográficas, sobre escolas diferentes, procurava ver muitos filmes de temas diferentes, cinematografias de países diferentes. Daí para escrever foi um processo natural.

Você acha que a crítica influencia o Cinema? E por que ela é tão odiada?

Eu não acho que ela seja tão odiada (risos). Eu acho que ela é odiada por quem não entende a função da crítica e os críticos odiados são os que não sabem executar bem o trabalho. São os caras que se colocam acima do espectador e dizem “vá ver esse filme” ou “não vá ver”. Porque eles estão dizendo que o espectador é burro e que ele é inteligente. Esses críticos fazem a má fama da crítica cinematográfica. A boa é valorizada pelas pessoas que entendem a importância e relevância dela. Quanto a influenciar, acho que influencia sim. Não na bilheteria e esse nem é o papel dela. Mas acho que é bobagem ignorar o papel da crítica na sistematização, na teorização e análise, inclusive de previsão de caminhos futuros para o Cinema. É óbvio que a crítica desenvolve esse papel e vem desempenhando ao longo das décadas.

Como se formar um crítico?

É importante ter uma formação sólida teórica. Ler sobre a teoria cinematográfica, sobre linguagem, de preferência fazer cursos como esse durante a semana, ler muito sobre história e correntes do Cinema e, principalmente, assistir a muitos filmes. Não adianta só ler, tem que ver muitos filmes, de todos os países, de todas as épocas e correntes. E continuar estudando depois disso. Após escrever minha crítica ou ver um filme sobre o qual não vou escrever, leio o quê pessoas que eu admiro escreveram. Estou num aprendizado constante e isso também faz parte.

A crítica é o seu ganha-pão. Como coibir o plágio na Internet?

O que acontece é o seguinte: sempre que eu identifico que meu texto foi usado sem minha autorização eu avalio. Se foi num blog pessoal, o cara gostou do meu texto, copiou e colocou ali, eu não vou encher o saco. Fico honrado e feliz. Ele não está ganhando dinheiro com aquilo. Agora, quando vejo num site profissional – e isso acontece com uma frequência alarmante –, pegando texto meu para fins comerciais, aí aciono juridicamente. Portais já copiaram textos meus, jornais impressos também. O departamento jurídico do Cinema em Cena entra em contato e aí eles são obrigados a pagar pela utilização mais do que se tivessem comprado diretamente. Pagam pela crítica e uma espécie de indenização pelo uso irregular.

Agora, algo mais pessoal. Cite um filme, um diretor e um ator que não sejam a trilogia O Poderoso Chefão, Martin Scorsese e Marlon Brando.

O Poderoso Chefão, Martin Scorsese e Marlon Brando (risos). Nem digo o Scorsese, ele é um dos muitos diretores que eu admiro. Acho difícil apontar um específico, porque admiro muitos. Agora, filme e ator, sem dúvida nenhuma: trilogia O Poderoso Chefão e Marlon Brando. Não consigo dizer outros que não sejam esses. Eles são inquestionáveis para mim.

Anúncios

15 responses

  1. Já acompanhava o velho e amigo Cinefilia, mas é nítido que o layout e dinamismo deste estão bem melhores e o conteúdo não precisa nem descrever! Você é ótimo no que faz!
    Boa sorte na nova jornada, caro cinéfilo e CORINTHIANO MALOQUEIRO E SOFREDOR, Graças a Deus! rs
    =*

    13 de Setembro de 2010 às 12:41 PM

  2. Já acompanhava o velho e amigo Cinefilia, mas é nítido que o layout e dinamismo deste estão bem melhores e o conteúdo não precisa nem descrever! Você é ótimo no que faz!
    Boa sorte na nova jornada, caro cinéfilo e CORINTHIANO MALOQUEIRO E SOFREDOR, Graças a Deus! Hahaha

    =*

    13 de Setembro de 2010 às 12:43 PM

  3. Muito boa entrevista para o início de um novo blog! Então eis que te pergunto a mesma pergunta feita pela sua pessoa ao entrevistado: Por que a crítica de cinema? Rs

    Parabéns Vini! Nisso pelo menos a gente tem certeza que você é bom de verdade 😛

    13 de Setembro de 2010 às 5:52 PM

    • Porque posso dizer com convicção os motivos que me levaram a gostar ou não de um filme.

      13 de Setembro de 2010 às 11:55 PM

  4. Errata: início de uma nova vida ao blog, afinal de novo ele não tem nada a não ser a cara né… É só o início de alguns novos anos! ^^

    13 de Setembro de 2010 às 5:54 PM

  5. Bacana a entrevista do Pablo Villaça!
    Tambem sou de Brasilia e gostaria de ter feito esse curso…
    Prestigie meu blog também!

    SE FERRANDO NA BALADA

    http://www.seferrandonabalada.blogspot.com

    13 de Setembro de 2010 às 6:14 PM

  6. Pedro

    Parabens. Adoro o Pablo e a entrevista ficou ótima

    13 de Setembro de 2010 às 6:19 PM

    • Valeu pelos parabéns! Continue lendo o Cinefilia!

      13 de Setembro de 2010 às 11:47 PM

  7. Ótima entrevista. Acompanho o trabalho do Pablo há cerca de 1 ano e meio. E a leitura de suas críticas é obrigatória para quem gosta de cinema.

    13 de Setembro de 2010 às 7:11 PM

    • Leio há, pelo menos, 9 anos os textos do Pablo. Apesar de não concordar com vários, não há como dizer que ele é coerente.

      13 de Setembro de 2010 às 11:46 PM

  8. Aquiman Costa

    Boto fé no Pablo e no blogueiro – que é roquiero! 😀

    14 de Setembro de 2010 às 3:53 AM

    • Continue visitando o Cinefilia que as trilhas sonoras rockers são sempre destaque! Obrigado e abraço.

      14 de Setembro de 2010 às 11:41 AM

  9. Pingback: Os números de 2010 « Cinefilia

  10. Que oportunidade ótimo entrevistar e fazer um curso com o Villaça, ao meu ver, o melhor crítico de cinema no país. Parabéns pelo Blog Vinícius cada dia mais maduro e interessante!

    15 de Agosto de 2011 às 11:17 PM

    • A foto é meio tiete, mas eu admiro o cara, fazer o quê? Obrigado pelos elogios.

      15 de Agosto de 2011 às 11:26 PM

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s