Go ahead, punk. Make my day.

Resumo (11 a 17 abr)

inglourious-basterds-posterBastardos Inglórios (Inglourious Basterds, 2009). De Quentin Tarantino

Enquanto assistia a Bastardos Inglórios pela segunda vez, pensava comigo mesmo que o filme era um festival de cenas antológicas, até o momento do encontro da Operação Kino no porão  cheio de nazistas. Acho a cena legal, não me entendam mal. O problema é a autoindulgência de Tarantino, que faz os diálogos se estenderem até quase o aborrecimento. E ela não está isolada, a exemplo de alguns planos-detalhe (o creme no strudel e o cigarro voando até os filmes de nitrato) usados apenas pela beleza de sua imagem. Mas de resto é sempre bom rever a abertra do longa com Hans Landa e Perrier LaPadite numa conversa tensa e que na minha opinião é a melhor coisa que Quentin já concebeu: beleza, diálogos preciosos, precisão técnica e atuações de outro mundo. O quadro em que Shosanna corre com o batente da porta como moldura é de fazer chorar. E não tenho como negar que o “final alternativo” para o Nazismo é uma ótima sacada. Isso sem contar o bom humor da produção. Nota: 8,5

spirited-awayA Viagem de Chihiro (Sen to Chihiro no kamikakushi, 2003). De Hayao Miyazaki

É chover no molhado, eu sei, mas também simplesmente impossível assistir aos filme de Miyazaki e não ficar embasbacado com o cuidado com cada detalhe, seja no ambiente ou na movimentação de seus personagens: há espelhos com reflexos complexos, há muitos adornos, há ambientes abertos, bem como cada calafrio de Chihiro ou tremular de hesitação são perceptíveis. Fora que a história da garota que tem os pais transformados em porcos e entra num mundo paralelo de espíritos tem ação e contemplação nas mesmas proporções, além de uma riqueza de personagens incrível. O filme segue a jovem Chihiro, que passa de menina insatisfeita e chatinha para uma adolescente mais madura, como num rito de passagem que ainda reserva a descoberta do amor para a pequena. Uma belezura. Detalhista, engraçado, delicado e divertidíssimo. Nota: 9,5


4 responses

  1. Viagem de Chihiro e o Castelo Animado são duas jóias. “o coração é um fardo pesado”

    18 de Abril de 2011 às 3:13 PM

    • Já viu Meu Vizinho Totoro do Miyazaki??

      18 de Abril de 2011 às 5:07 PM

  2. Esse não. Sinopse cadê? me mostra? =)

    18 de Abril de 2011 às 5:59 PM

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s