Go ahead, punk. Make my day.

Resumo (1º a 14 ago)

das_parfumPerfume – A História de um Assassino (Das Parfum – Die Geschichte eines Mörders, 2006). De Tom Tykwer

Do que mais se falava há 5 anos, quando o filme foi lançado, era sobre os artifícios que o cineasta Tom Tykwer havia lançado mão para a adaptar o livro homônimo de Patrick Süskind. A missão, diziam, era difícil já que a descrição de cheiros era uma tarefa e tanto para uma arte tão visual como o Cinema. Por meio de muitos planos-detalhe e de uma edição de som de primeira, o diretor conseguiu captar o asco e a delícia dos aromas que fazem a atmosfera desse longa. Tykwer filma com gosto amêndoas e flores e causa náuseas ao mostrar um dedo sujo ou o mercado de peixes da Paris do século 18. Tudo isso para contar a história de Jean-Baptiste Grenouille (Ben Whishaw), um rapaz que nasce com o olfato mais apurado que o comum, vira aprendiz de perfumista e descobre como criar o perfume perfeito de uma maneira assustadora: usando corpos de belas mulheres. O filme é corajoso e tem força nas imagens, mas abusa da narração em off, que ajudaria se fosse mais econômica, assim como o ritmo se torna um tanto apressado a partir do momento em que Grenouille passa a criar seu perfume. De qualquer forma, um longa que cria um choque tão grande a partir dos cabelos vermelhos da linda Rachel Hurd-Wood e da atuação pungente de Alan Rickman merece muito respeito. Nota: 8,5

inception-poster1A Origem (Inception, 2010). De Chistopher Nolan

Os atores são ótimos, a produção como um todo é primorosa, mas esse sim é um filme que se pode dizer que é do diretor. Não pela execução, pois Chris Nolan não fez tudo só, mas da concepção ao produto final vemos que o projeto ambicioso deu certo muito por conta da mão firme do cineasta. Ele criou, literalmente, um mundo a parte para que os roubos e inserções de ideias pudessem acontecer. Tudo com muita coerência e incrivelmente possível de ser absorvido, apesar de tanta complexidade. Criar sonhos dentro de sonhos e planos mirabolantes foi recompensado com ótimas críticas e muitos elogios do público. Aqui, a direção de Nolan é detalhista, mas o roteiro – também dele – é espetacular, amarrando as pontas e soluções criativas. Se a elaboração do plano principal é um pouco corrida, a inteligência do filme vem do fato de que cada frase conta, pedindo a atenção do público para um filme instigante e que ainda vai dar espetáculo visual. Se cria uma dúvida no final, ela serve apenas para ser mais um ponto na discussão sobre um dos melhores filmes da década. Nota: 9

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s