Go ahead, punk. Make my day.

Archive for Dezembro, 2011

Listando 2011 – Melhores e Piores

As minhas Listas seguem, basicamente, quatro critérios: Melhores e Piores vistos no Cinema e Melhores e Piores vistos em Casa. Sempre tratando de filmes inéditos, aqueles que revi entram apenas na Lista Completa dos longas assistidos durante o ano – a qual inclui a cotação de todos eles.

Durante este ano, foram 106 filmes assistidos, sendo 22 no cinema e 41 pela primeira vez no conforto da minha casa. O resultado geral é melhor que o de 2010, quando assisti a 93 filmes, contudo 29 deles foram no cinema.

Eu sei que o total não é dos melhores, mas o trabalho como jornalista durante 12 horas por dia não ajudou muito nas minhas idas ao cinema ou a ligar o blu-bay.

Dessa vez, uma pequena mudança: ao invés de uma lista com os 10+, dessa vez trago uma mais enxuta, com os 5 mais ou 5 menos de cada categoria.

Aqui vão os eleitos. 

Cinema

Os 5+

Cisne Negro
Nota: 10
Momento-Chave: uma boate, um comprimido, uma dança e uma noite para catalisar o Cisne Negro

A Árvore da Vida
Nota: 9
Momento-Chave: O primogênito de Brad Pitt e Jessica Chastain nasce e um pequeno pé ilumina o filme

O Palhaço
Nota: 9
Momento-Chave: O coadjuvante Jackson Antunes diz que “O gato bebe leite, o rato come queijo e eu…”. As reticências são completadas por todo o filme.

127 Horas
Nota: 8,5
Momento-Chave: Um canivete cego encontra um nervo a ser partido.

X-Men – Primeira-Classe
Nota: 8,5
Momento-Chave: Xavier e Magneto emocionam a plateia com um diálogo antes de moverem uma antena e selam uma amizade.

E ficando de fora por pouco:
HP 7.2

 .

Os 5–

Assalto ao Banco Central
Nota: 4,5
Momento-Chave: Milhem Cortaz surge numa nuvem de fumaça de cigarro e com trilha sonora vergonhosa. Coitado.

O Preço do Amanhã
Nota: 5
Momento-Chave: uma dança desastrosamente montada na qual quase é possível ouvir o “corta” do diretor.

Os Três Mosqueteiros
Nota: 5,5
Momento-Chave: duelo e morte sob a chuva, com corte para céu aberto e sol brilhante logo em seguida.

Transformers – O Lado Oculto da Lua
Nota: 6
Momento-Chave: namorada de Shia LaBeouf leva café pra ele na cama com close em seu traseiro e depois vai trabalhar para sustentar o herói.

Invasão do Mundo – Batalha de Los Angeles
Nota: 6
Momento-Chave: criança é salva – você sabe, para humanizar o conflito.

E escapando por pouco:
Se Beber, Não Case – Parte II
e
Pânico 4

Em Casa

Os 5+

O Segredo dos seus Olhos
Nota: 10
Momento-chave: um monólogo sobre paixão e um plano-sequência monumentais

Meu Vizinho Totoro
Nota: 9
Momento-Chave: surge o gigante Totoro de barriga pra cima

A General
Nota: 9
Momento-Chave: Buster Keaton senta-se “do lado de fora” da amada General e ela dá uma voltinha com ele.

I Saw the Devil
Nota: 8,5
Momento-Chave: depois de sangue, maldade e vingança, um personagem chora o peso de suas ações fechando o filme.

Maratona da Morte
Nota: 8,5
Momento-Chave: num carro, Dustin Hoffman e a plateia se dão conta do que realmente está acontecendo.

E ficando de fora por pouco:
Desafio do Além
e
Scott Pilgrim Contra o Mundo

 .

Os 5–

D-War – A Guerra dos Dragões
Nota: 0,5
Momento-Chave: o filme acaba, enfim.

Ninja Assassino
Nota: 4
Momento-chave: pela enésima vez o rosto inexpressivo de Rain, com olhar perdido em suas lembranças, introduz um flashback.

Encontro Explosivo
Nota: 5
Momento-chave: uma moto é conduzida por Tom Cruise em meio a uma debandada de touros com Cameron Diaz no colo mandando bala.

O Último Mestre do Ar
Nota: 5,5
Momento-chave: a Nação da Terra faz um estrago no acampamento de trabalhos forçados da Nação do Fogo só porque o “messias” deu as caras.

A Casa da Mãe Joana
Nota: 6
Momento-chave: fast foward no melhor estilo Os Trapalhões.

E escapando por pouco:

A Lista – Você Está Livre Hoje? – 6


Listando 2011 – Lista Completa

O Preço do Amanhã* – 5
O Palhaço* – 9
Contra o Tempo* – 8
Os Três Mosqueteiros* – 5,5
A Árvore da Vida* – 9
Assalto ao Banco Central – 4,5
Transformers – O Lado Oculto da Lua* – 6
Super 8* – 7,5
HP 7.2* – 8,5
X-Men – Primeira Classe* – 8,5
Se Beber, Não Case – Parte II* – 6
Thor* – 7,5
72 Horas* – 6,5
Fúria Sobre Rodas* – 7
Bruna Surfistinha* – 7,5
O Discurso do Rei* – 8
Invasão do Mundo – Batalha de Los Angeles* – 6
O Vencedor* – 8
Cisne Negro* – 10
Incontrolável* – 7
Pânico 4* – 6
127 Horas* – 8,5
Traffic – 10
A Casa da Mãe Joana* – 6
A Epidemia* – 8
Avatar – 9
No Rastro da Bala* – 7,5
I Saw the Devil* – 8,5
Karatê Kid* – 6
Ninja Assassino* – 4
Como Treinar Seu Dragão* – 8
Demônio* – 6
O Último Portal* – 6
O Fabuloso Destino de Amélie Poulain – 9,5
O Segredo dos seus Olhos* – 10
Se Beber, Não Case – 8
The Runaways – Garotas do Rock* – 8
O Último Mestre do Ar* – 5,5
Metal – Uma Jornada pelo Mundo do Heavy Metal – 8,5
Encontro Explosivo* – 5
A Capital dos Mortos*  – 7
O Homem que Copiava – 10
Meu Vizinho Totoro* – 9
Quem Quer Ser um Milionário? – 8,5
O Senhor das Armas – 9
Os Simpsons – O Filme – 8,5
Tron – Uma Odisséia Eletrônica – 7
Machete* – 7
A General* – 9
Snatch – Porcos e Diamantes – 8,5
Bastardos Inglórios – 8,5
A Viagem de Chihiro – 9,5
A Rede Social – 8,5
Distrito 9 – 9
El Mariachi* – 7,5
Zumbilândia – 8,5
Drácula de Bram Stoker – 9
Maratona da Morte*  – 8,5
Um Estranho no Ninho – 10
A Mentira* – 8
Psicose – 9
Homem de Ferro 2 – 8
A Lista – Você Está Livre Hoje?* – 6
30 Dias de Noite – 7,5
Meu Malvado Favorito* – 7
Scott Pilgrim Contra o Mundo* – 8,5
A História Sem Fim – 5,5
Cães de Aluguel – 8,5
Domino – A Caçadora de Recompensa* – 6,5
A Onda – 8,5
Megamente* – 8,5
Akira – 9
Rio* – 7,5
Amadeus – 9
Enterrado Vivo* – 8,5
O Profissional – 9
RED – Aposentados e Perigosos* – 8
Ligado em Você – 8
Erin Brockovich – Uma Mulher de Talento – 8,5
Perfume – A História de um Assassino – 8,5
A Origem – 9
O Resgate do Soldado Ryan – 8,5
D-War – A Guerra dos Dragões* – 0,5
Amor & Outras Drogas* – 7
Los Cronocrimenes* – 8
Fantasia – 8,5
Fantasia 2000 – 7,5
Monstros* – 8
A Hora do Espanto – 8
Obrigado por Fumar* – 8,5
Minority Report – A Nova Lei – 8,5
O Homem Invisível* – 7,5
A Voz do meu Coração* – 7
Os Garotos Perdidos – 8
A Vida em Preto e Branco – 9
Hanna* – 8
Contatos Imediatos do Terceiro Grau – 9
Thelma & Louise – 8,5
Diário de um Banana* – 7
À Procura da Vingança* – 7
A Queda! As Últimas Horas de Hitler – 8,5
Desafio do Além* – 8,5
O Mundo aos seus Pés* – 8,5
Inimigo Íntimo – 8,5
Enrolados* – 7,5
A Princesinha – 9

*Filmes assistidos pela primeira vez


Vampiro Bash – em 5 segundos

Um vampiro desenhado que vem à vida e uma animação de cinco segundos genial. Ideia simples, de execução irretocável. Hilário. Assim é Vampiro Bash, “curtíssima-metragem” vencedor de uma das várias edições do Greyscale Gorilla’s 5 Second Project, que reúne animações de até 5s. A direção é do português António Silva.

Dica do amigo Gilberto Almeida


Resumo (19 a 25 dez)

princessA Princesinha (A Little Princess, 1995). Alfonso Cuarón

O que mais chama a atenção nessa pequena pérola cinematográfica é a direção minuciosa de Alfonso Cuarón. Parece que ele pensou cada fotograma como sendo único, o primeiro e último do longa, dando a cada um deles uma beleza especial, seja na movimentação dos atores em cena, seja no gestual de cada, seja no enquadramento que ele pensa para essas cenas. Tudo, absolutamente tudo, é visualmente emocionante. Ajuda muito os belos cortes da montagem de Steven Weisberg, como no momento em que pai e filha se despedem antes que ele vá para guerra. Ali, de forma muito elegante, o montador intercala planos abertos e fechados, criando um efeito muito bonito, enfatizando a importância da cena. Assim como a excepcional fotografia de Emmanuel Lubezki que emoldura a direção delicada de Cuarón e dá cor à linda trilha de Patrick Doyle. Um belo conto infantil que só perde pontos pelo destino pouco convincente de vilões. De qualquer forma, um trabalho que vai além da proposta de ser apenas mais um filme para a família. Nota: 9


Trilha de Natal

Usar Jack, de O Estranho Mundo de Jack, para homenagear o 25 de dezembro filmisticamente é fácil, assim como qualquer outro filme relacionado à data. Bom mesmo é sair do comum e cantar o Natal ao som de Jingle Bell Rock, nas vozes (e pele) de Lindsay Lohan, Rachel McAdams, Lacey Chabert e Amanda Seyfried, em Meninas Malvadas. Machos, uni-vos ao coro.

Feliz Natal!


Crítica: O Preço do Amanhã

intime_01Para assistir a O Preço do Amanhã (In Time, EUA, 2011) é preciso aceitar o fato de que a sociedade deixou de trabalhar por dinheiro, a moeda corrente é o tempo. As pessoas não envelhecem mais, até os 25 anos qualquer um vive normalmente, a partir daí todos têm apenas mais um ano, precisando se virar para ganhar mais tempo de vida e manter a eterna juventude.

É contraditório (e interessante) e exige um bocado da imaginação da plateia, o que pode não ajudar na imersão na narrativa. O que até poderia desculpar a artificialidade das primeiras cenas nas quais o personagem de Justin Timberlake, Will Salas, é apresentado e forçado pelo roteiro a “ensinar” aos espectadores como é possível trocar tempo com outras pessoas com apenas um toque dos braços. O que se contrapõe a outra solução mais prática e cinematográfica, vista no minuto anterior, na qual a câmera se afasta de um ambiente indistinto que se revela sendo a pele de alguém com um relógio em contagem regressiva gravado em seu braço.

O longa é apresentado do ponto de vista de Will, um assalariado que é procurado pela polícia depois de receber uma grande quantidade de tempo de um homem que já viveu mais de 100 anos e não sabe o que fazer com o imenso tempo que ainda lhe resta. Depressivo e cheio de questionamentos sobre uma possível vida eterna ele se suicida o que, claro, aponta o protagonista como suspeito de assassinato.

Justin-Timberlake-In-Time

Apesar de não muito original, os problemas da produção se tornam realmente preocupantes, a partir do momento em que Will resolve ir até o bairro rico isolado para “lutar contra o sistema”, o que indicaria uma boa versão da vingança de O Conde de Monte Cristo. Mas a trama fica só na intenção, logo a ideia se transforma num romance com a filha de um banqueiro do tempo (Sylvya, Amanda Seyfried) e numa fuga. No meio do caminho, o roteiro volta com a ideia da sabotagem, mas ai a sutileza já deu lugar à ação.

Pena, pois tecnicamente O Preço do Amanhã é problemático, vide montagem. O maior exemplo é a dança entre Timberlake e Amanda. Mostrada em vários ângulos, a coreografia e os diálogos deveriam fluir, contudo a junção dos takes para cada enquadramento é desastrosa, sendo perceptível o exato momento em que a cena foi cortada no estúdio. Só faltou o ouvir o diretor, Andrew Niccol gritar “corta!”. Também é sofrível o momento em que um importante personagem morre no braços de Will devido à falta de tempo. Tudo por causa das rápidas elipses empregadas, as quais simplesmente impossibilitam perceber a passagem das duas horas que restam a essa pessoa e, assim, imergir no sofrimento dela.

Some a isso a direção burocrática e a trilha sonora que lembra os piores acordes de novelas e temos um fuzilamento às qualidades do filme, seja a fotografia que vai do ensolarado ao frio, variando de acordo com cada situação, ao desperdício de um Cillian Murphy que tenta dar dignidade ao policial que vive. Pobre Amanda Seyfried, linda, mas que teve de rebolar para conseguir fazer a plateia tirar o olho da evidente peruca que usa.

Nota: 5

Amanda-Seyfried-In-Time


Resumo (12 a 18 dez)

devilsownInimigo Íntimo (The Devil’s Own, 1997). De Alan J. Pakula

À época do lançamento, o longa de Alan J. Pakula foi vendido bem próximo de um thriller de ação. Não poderia ser mais errado. Aqui há um belíssimo drama com ares paternos e de uma simplicidade que faz coçar a cabeça e tentar entender como o roteiro de David Aaron, Cohen, Vincent Patrick e Kevin Jarre consegue falar tanto sobre os personagens vividos por Brad Pitt e Harrison Ford com tamanha simplicidade. É clara a ligação de pai e filho entre eles, o que dá boas lições a um amargurado Pitt, o qual perdeu o pai aos oito anos – fato que o faz ingressar no Exército Republicano Irlandês, o IRA. Sempre meio apático, de movimentos curtos e fala baixa, o terrorista passa a ter sorrisos e aparência melhores entre Ford, suas filhas e mulher. Ele próprio passa a se portar como um tipo de pai postiço para a caçula da família. Enquanto isso, o patriarca tem contato com um mundo que, mesmo sendo policial, parece nunca ter ido à fundo, o da criminalidade. Ele acaba de receber Pitt em casa como um irlandês em busca de trabalho, mas que, na verdade, toca a compra de mísseis para continuar sua guerra civil do outro lado do Atlântico. Com atuações sempre em tons mais baixos e câmera sem movimentos largos, mas dinâmica, além de montagem no básico, Inimigo Íntimo é daqueles filmes que até na emoção são contidos, mas te fazem sentir que ali há algo pelo qual se importar. Nota: 8,5

tangledposterEnrolados* (Tangled, 2010). De Nathan Greno e Byron Howard

A versão moderninha para a história da Rapunzel tem doce, muito doce, assim como algumas boas soluções e um visual realmente encantador. Para aproveitar melhor o programa, recomenda-se evitar a versão dublada brasileira, com o disparate de incluir o apresentador Luciano Huck como o ladrão Flynn Rider. Passando por cima disso, chamam muito a atenção a fluidez das cenas de ação, a movimentação incrivelmente realista dos personagens e a complexidade das sequências, que incluem uma grande quantidade de elementos em cena. O maior exemplo disso é a fuga pela represa, um primor. O restante segue a linha 100% família, incluindo coadjuvantes engraçados e um casal cativante que, claro, não se topa no início. É tão certinho que você nem se lembra que a princesa da vez está envolvida com um ladrão, tamanha a suavização. Engraçado e bom de montagem – vide  as rápidas elipses das tentativas de Rapunzel de guardar Flynn no guarda-roupas ou ela própria lamentando e comemorando a fuga da torre -, a animação peca nas músicas, que estão longe de ser o forte do filme. Mas reserva um final que se sustenta com uma boa e moderada reviravolta em relação aos cabelos da heroína. Nota: 7,5

*Filme visto pela primeira vez