Go ahead, punk. Make my day.

O megassucesso Titanic volta aos cinemas em 3D

titanic-movie

Há 100 anos, o navio RMS Titanic e suas mais de 46,3 mil toneladas pilotadas pelo capitão Edward J. Smtith afundavam nas águas do Oceano Atlântico. Há pouco mais de 15 anos, o filme Titanic e seus 194 minutos, dirigidos por James Cameron, estreavam no Brasil e dariam início a uma corrida aos cinemas. Não é à toa que, uma década e meia depois, Titanic ainda emita ecos tão fortes que justifiquem a volta aos cinemas em formato 3D, já em exibição comercial em todo o país.

Afinal, tudo que envolve o longa-metragem é grande. O orçamento foi o primeiro a ultrapassar o US$ 200 milhões, justificado por uma réplica apenas 18 metros menor que o navio original, construída para as filmagens e mergulhado num tanque de quase 260 milhões de litros de água, também feito apenas para a produção. O resultado foram 11 Oscars, o primeiro a atingir a marca 39 anos depois de Ben-Hur estabelecer o recorde. Além de uma bilheteria de US$$ 1,8 bilhão, outro recorde, que só foi batido 12 anos depois por Avatar, que ultrapassou os US$ 2,7 bilhões.

O naufrágio em 1912 iniciou o século com uma das maiores tragédias marítimas de toda a história, enquanto o longa-metragem da década de 90 o fechou com a maior produção já vista até então.

A grandiosidade do filme está bem guardada na lembrança do dono de uma cadeia de cinemas em Uberlândia, Pedro Naves, que calcula tê-lo exibido para mais de 40 mil pessoas durante os três meses em que ficou em cartaz, até hoje um recorde de tempo em exibição na cidade. Segundo ele, a única cópia que recebera da distribuidora rodava ininterruptamente em três sessões diárias, a maior parte delas com ingressos esgotados, e que geravam grandes filas, as quais, conta, fizeram a alegria dos lojistas do shopping onde o cinema está instalado.

“Como as pessoas ficavam bastante tempo nas filas para comprar ingressos, era comum que visitassem as lojas próximas e fizessem compras. Amigos lojistas chegaram a pedir para que o filme ficasse mais tempo em exibição”, afirmou.

O empresário ainda lembra que as reações na sala eram invariavelmente de paixão à história de amor entre os personagens de Leonardo DiCaprio e Kate Winslet e o naufrágio. Pedro afirma ter visto adolescentes suspirando ou gritando que amavam DiCaprio, alguns batendo palmas e muitos revendo o longa várias vezes. “Teve uma menina que disse ter assistido ao filme umas dez vezes e, por isso, merecia ganhar um ingresso para levar a mãe. Eu dei o ingresso pra ela”, disse Naves.

No entanto, o empresário não espera um público exorbitante no relançamento de Titanic em 3D, uma vez que na pré-estreia a média de público esteve entre 80 e 90 pessoas por sessão, volume considerado comum.

Não que James Cameron não tenha caprichado na conversão para o formato, já que ele gastou mais US$ 18 milhões para que os quase 280 mil quadros do filme se tornassem tridimensionais. Em entrevista à revista Galileu, ele contou que o processo foi minucioso, chegando ao ponto de isolar bolha por bolha de água durante o naufrágio do navio para trabalhar a dimensão de cada detalhe.

titanic-rose-desenho2

Fã vai assistir ao longa pela 14ª vez no cinema
A educadora infantil Juliana Terra diz não enxergar muito bem filmes em 3D, mas conta que nem que assista a mais de três horas de imagens desfocadas vai rever Titanic no cinema. Essa será a 14ª vez que ela acompanhará o romance e o naufrágio dessa maneira. Quando o longa-metragem estreou no Brasil, em janeiro de 1998, ela mobilizou família e amigos para ver o filme em 13 oportunidades.

Na época, com apenas 14 anos, ela diz ter se encantado com o grau de detalhamento dos cenários e do roteiro de James Cameron, que manteve muito da história real no enredo, além de ter se tornado uma fã de Rose DeWitt Bukater, a personagem de Kate Winslet. “Se houvesse jeito de uma continuação, deveria ser para contar a história dela”, disse a educadora aos risos.

A paixão mexeu também no bolso de Juliana Terra, que gastou com a compra de versões em VHS e DVD do filme, além de cartazes variados e versões da trilha sonora em CDs, num total de cerca de 40 itens da coleção.

Mas há um detalhe: ao contrário da maior parte das fãs do filme, ela jura de pés juntos nunca ter suspirado de paixão por Jack Dawson, o personagem de Leonardo DiCaprio. “Sinceramente sempre preferi Cal Hockley, o noivo de Rose. Não sei o porquê, mas tinha raiva de Jack”, afirmou.

Números

– US$ 18 milhões foram gastos para a conversão de Titanic para 3D
– 280 mil quadros convertidos
– 40 mil pessoas assistiram ao filme em Uberlândia em 1998
– 3 meses em cartaz na cidade

James Cameron

Fez documentários sobre oceanos e, em 2009, apresentou Avatar, seu primeiro trabalho em 3D. Ao custo de US$ 300 milhões, estabeleceu outro recorde de bilheteria, US$ 2,7 bilhões, e venceu três Oscars, incluindo o de melhor fotografia, o primeiro dado a um filme em 3D.

Lenardo DiCaprio

Filmou com diretores como Woody Allen, Steven Spielberg e Clint Eastwood e se transformou em parceiro de Martin Scorsese, com quem fez quatro filmes. Foi indicado a dois Oscars de Melhor Ator, em Diamante de Sangue e O Aviador.

Kate Winslet

Indicada ao Oscar pelo papel em Titanic, ela voltaria outras quatro vezes a concorrer à estatueta até vencer em O Leitor, de 2008. Em 1996, já tinha concorrido como Melhor Atriz Coadjuvante por Razão e Sensibilidade.

*Kate e DiCaprio voltaram a atuar juntos no drama Foi Apenas Um Sonho, em 2008

Reportagem originalmente publicada no Jornal Correio de Uberlândia de 14 de abril de 2012

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s