Go ahead, punk. Make my day.

Crítica: Plano de Fuga

gringoposterMel Gibson não podia pedir mais a Plano de Fuga (Get The Gringo, EUA, 2012). É um filme divertido, rápido, sem grandes pretensões e que poderia ter feito uma boa bilheteria (nada astronômico) caso tivesse entrado em cartaz nos cinemas norte-americanos. Mas o plano foi lançá-lo diretamente para a TV fechada. Algum espertinho, porém, resolveu colocá-lo nas salas brasileiras. Deve ter faturado algum com o nome de Gibson.

O filme começa muito bem, com uma perseguição amalucada pela fronteira estadunidense e mexicana, com Gibson vestido de palhaço, sendo caçado pela polícia por conta de uma grana e soltando uma frase mais engraçadinha que a outra em off. As câmeras aéreas do diretor Adrian Grunberg acompanham bem a movimentação, que, claro, não acaba da melhor maneira possível e leva Mel para uma prisão federal no México.

A partir daí, a trama começa pra valer, com o protagonista tentando sair da cadeia, reaver o dinheiro e tentando despistar policiais corruptos e bandidos na cola dele. O estilo malandro do personagem e a trama sem mocinhos na verdadeira acepção da palavra lembram O Troco, fita (mais divertida) de 1999. Aliás, se não fosse a trama secundária envolvendo o garoto vivido pelo atrevido Kevin Hernandez, Plano de Fuga seria uma adaptação daquele longa a um ambiente prisional.

Um ambiente, diga-se de passagem, bizarro, que é um verdadeiro vilarejo onde as regras são ditadas por um diretor, mas no qual um poder paralelo sobrevive sem grandes problemas. É ali que o protagonista consegue aplicar pequenos golpes para “ascender socialmente” e, mais tarde, procurar resolver os conflitos que o roteiro do diretor, Grunberg, do próprio Gibson e de Stacy Perskie apresenta. Incluindo um draminha que não funciona lá muito bem envolvendo o jovem Hernandez e sua mãe.

De qualquer forma, como já dito, Mel está em ambiente confortável, com um personagem que exige de seu já testado carisma, numa trama movimentada e que prende a atenção e, claro, envolve boas doses de violência, vide o tiroteio em câmera lenta durante a invasão ao presídio, que inclui até um homem mandado pelos ares durante uma explosão.

Nota: 7

get-the-gringo-still

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s