Go ahead, punk. Make my day.

Resumo (1º a 7 jul)

Mean StreetsCaminhos Perigosos* (Mean Streets, 1973). De Martin Scorsese

Um filme que tem muito de ousado, Caminhos Perigosos marcou a primeira parceria entre Scorsese e Robert De Niro. Para começar, o longa está mais preocupado em mostrar seus personagens do que contar uma trama comum. Dessa forma, conhecemos nossos protagonistas, Charlie, vivido por Harvey Keitel, e seus amigos. Eles são criminosos de segunda categoria que andam pela ruas do bairro Little Italy e outras redondezas de Nova York cobrando dívidas de jogos, aplicando golpes ou simplesmente curtindo a noite no bar de um deles, Tony. Não que sejam pés-rapados, muito pelo contrário – a não ser no caso de Johnny Boy, claro. Ele é interpretado por Robert De Niro como o típico inconsequente enrolador que parece nem perceber a amplitude de seus atos, seja ao insultar alguém até criar uma briga generalizada em um bar, seja em atirar a esmo na noite do alto de um prédio. No oposto está Charlie, um aspirante que está a um passo de atingir níveis superiores na cadeia da Máfia dominada por seu tio e outros velhos. Um negócio pode cair de bandeja em suas mãos, mas há duas coisas que o atrapalham: o próprio Johnny Boy e o amor pela prima dele, Teresa. Fora que, óbvio, a vida farrista com seus companheiros não lhe ajuda muito e em algum momento isso vai ser o clímax da trama. Scorsese trabalha os ótimos personagens que tem em mãos com estilo de sobra, colocando pessoas andando em câmera lenta ao som de Rolling Stones, e é Cinema de verdade cheio de mensagens sem que ninguém abra a boca para passá-las. Ou quase, no exemplo que melhor define Caminhos Perigosos: logo na abertura do filme Keitel diz que os pecados são pagos de verdade nas ruas e a luz vermelha que toma conta do bar de Tony no momento em que Johnny parece ao protagonista mostra qual será o fardo que ele terá que carregar em sua próprias via crucis. Ou que tal o mal estar que as ruas sujas de NY trazem e refletem todo o ambiente que aqueles mesmos homens criam? Um longa de pouca história, mas com muita coisa para contar. Nota: 8,5

*Filme assistido pela primeira vez

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s